ed 06/2015 : caiman.de

revista de cultura e viagem para américa-latina, espanha e portugal : [edição atual] / [primeira página] / [arquivo: edição/país/coluna]
deutsch// 


[art_3] Brasil: XL Carioca

A sociedade brasileira não para de crescer – nos últimos anos, o número de obesos e pessoas com sobrepeso aumentou significativamente. Um cemitério no Rio de Janeiro reage e entra no mais novo segmento do mercado funerário: jazigos para obesos.



A vista conta com o Pão de Açúcar e o Cristo Redentor – os dois bem pequeninhos no horizonte. Na frente do „Cemitério da Penitência”, no Bairro do Caju, passa a rodovia que liga o centro da cidade com a ponte Rio – Niterói. Com tanto barulho, como é que você pode encontrar sua paz eterna?



Perto da entrada, há duas fileiras de túmulos novos e trabalhadores colocando o revestimento de granito. Aqui é o lugar para os mortos de tamanho XL. Os jazigos mais espaçosos compartam pessoas de até 500 quilos, explica o gerente do cemitério.

Ele já viu pessoas deste tamanho, pergunto. Até 350 quilos sim, responde. Mas segundo às estatísticas, o número de pessoas obesas está aumentando, e muito: nos últimos anos, o número de pessoas com sobrepeso aumentou 23%, e o de pessoas obesas, 50%. „Não podemos fechar os olhos para essa necessidade.“

Ele fala de assentos mais largos nos aviões, ônibus e até nos cinemas. O mercado funerário também tem de reagir.


Na falta de jazigos mais espaçosos, obesos são sepultados em covas rasas, conta. „No Rio, isso ainda é permitido.“ Agora, há uma solução para isso.



De graça é a morte – os jazigos, não. O túmulo XL, que é permanente, custa 75.000 R$, vinte mil a mais que um jazigo de proporções normais. E dá para dividir em dezoito vezes.

Texto e fotos: Thomas Milz

[print version] / [arquivo: brasil]

 

 


© caiman.de : [disclaimer] / [imprint]